Rua Ouro Branco, 580

Indaiatuba, SP - CEP 13347-120

+55 (19) 3935 4292

(19) 3934 4585 | FAX: (19) 3935 1194

(19) 97172 2277

Artigos

Sobre Tamboreamento e Vibroacabamento

O tamboreamento e vibroacabamento possuem como principal finalidade o processamento de peças feitas em metais ferrosos e não ferrosos, na remoção de rebarbas, ferrugem, nivelamento e polimento de suas superfícies. 

Quando controlado, após o processo de tamboreamento, além de não deformar o formato original ou causar danos dimensionais, é obtido precisão de rugosidade, melhor aspecto visual e uniformidade de acabamento.
O acabamento é obtido através do atrito promovido pela movimentação (quando em tambor rotativo) ou movimentação e vibração (quando em máquinas vibratórias) das peças em meio dos corpos abrasivos e compostos químicos.
O movimento e vibração quando controlados removem rebarbas e cantos vivos, alisam superfícies de maneira uniforme assim como garantem um aspecto visual mais bonito e brilhante.
Consulte um de nossos técnicos para realização de testes práticos e indicação dos chips e compostos químicos adequados.

Fatores de relevância para o tamboreamento de peças:

1- Seleção de insumos (chips abrasivos, porcelanas, inox, grãos vegetais, compostos, etc.) para obter o resultado esperado:

Os insumos são selecionados de acordo com fatores como materiais, formato, tamanho e resultado almejado para a superfície das peças. Compostos químicos para vibroacabamento (detergentes, pastas e pós) devem ser usados para auxiliar e/ou acelerar o processo, garantindo o acabamento desejado além de manter os insumos limpos e/ou com maior poder de corte. 

2- Quantidade de carga x quantidade de peças:

O resultado da rebarbação, polimento, limpeza ou brilho é melhor obtido quando a carga envolve as peças. Portanto, a quantidade indicada de carga x peças é de 1:1 até 10:1, sendo que 2:1 indicado para processo de rebarbação pesado e 6:1 para processos de precisão.

3- Quantidade de abrasivos e peças no tanque / caçamba:

A quantidade ideal de peças mais os insumos dentro da caçamba deve atingir de 85% a 90% do volume total da mesma. A quantidade adequada desta mistura (peças + carga) deve ser obtida tendo em vista um bom e livre movimento de todo volume interno do tamboreador.

4- Compostos químicos: 

Os compostos para tamboreamento ou vibroacabamento, sejam eles líquidos, pós, ou pastas são soluções compostas de elementos químicos que representam um papel muito importante em todos os processos.
São utilizados para limpar, desengraxar, abrilhantar e polir além de reduzir o tempo de processo e até mesmo reduzir o impacto entre as peças.
A quantidade destes compostos para cada processo depende do volume de água e resultado almejado. Testes práticos devem ser realizados e as quantidades definidas.

5- Quantidade de água:

A quantidade adequada de água para ser adicionada fica ao redor de 3% do volume total do tanque. Pouca água pode resultar em arranhões na superfície das peças e muita água pode influenciar na qualidade do acabamento. 
A quantidade de água, deve ser cuidadosamente controlada, uma vez que os processos de tamboreamento e vibroacabamento são conhecidos por utilizarem pouca água, energia e mão de obra.

6- Determinando o tempo de processo.

O tempo de acabamento é determinado de acordo com a situação inicial das peças que serão processadas.
O melhor tempo para o acabamento é geralmente estipulado por meios de testes práticos assim como as melhores opções de insumos e regulagem do tamboreador.

O que é tamboreamento?

Onde aplicar o tamboreamento?

Ao tamborear peças tenha em mente que historicamente, os departamentos de tamboreamento e Vibroacabamento da grande maioria das indústrias que investiram nos sistemas, não sabem usufruir com eficácia de tudo o que estes processos podem oferecer-lhes. Não são raros os casos em que os setores de acabamento chegam a abandonar o sistema, pois não são capazes de obter os resultados pré estabelecidos, ou prometidos.

Em outras situações nos deparamos com atitudes do tipo “sempre foi feito assim, porque mudar?” entretanto, a direção da empresa desconhece o quanto está sendo desperdiçado pelo mal uso dos processos de acabamento em massa. Em razão das inúmeras vivências é que podemos afirmar o quanto é importante que seja exigida do fornecedor, a mais completa assistência técnica aos processos de tamboreamento e vibroacabamento. Essa assistência técnica deve abranger desde a especificação do melhor equipamento e respectivos insumos a serem adquiridos, até o treinamento para os funcionários que irão operá-lo.

As funções dos chips são variadas e alcançam desde o corte de rebarbas e remoções de asperezas das superfícies, até o polimento final. Conforme o processo de fabricação de cada peça, poderá haver ainda a necessidade em uma determinada etapa ser executada manualmente.
Um exemplo que podemos dar é o de peças fundidas, onde o canal de alimentação ou injeção precisa ser removido manualmente antes de entrar na fase de rebarbação e/ou polimento, via tamboreamento ou vibroacabamento. Nos casos de peças injetadas em metais como, alumínio, zamak ou baixa fusão, normalmente não é necessária operação manual, visto que o processo é capaz de remover as rebarbas, bem como diminuir o nível de rugosidade das peças.
Geralmente os processos de tamboreamento e vibroacabamento eliminam entre 50 e 75% dos trabalhos manuais, conseguindo assim uma significante redução de custos de produção, além de padronização de qualidade.
Chips é uma denominação dada principalmente no mercado brasileiro, para descrever o material utilizado nos processos de tamboreamento ou vibroacabamento, que agem como abrasivo nas diferentes superfícies que terão que ser tratadas.
Os compostos químicos são especificados de acordo com cada tipo de material a ser tratado, e utilizados normalmente com água.

Os processos de tamboreamento e vibroacabamento estão se tornando a cada dia mais conhecidos e evoluídos. Ótimos resultados estão sendo obtidos através destes processos , desfazendo assim antigos mitos sobre a eficiência do acabamento em massa. Atualmente consegue-se visualizar microscopicamente os vários resultados obtidos nos mais diversos tipos de material tratado via processos de tamboreamento e vibroacabamento, e discutir-se também com quais tipos de insumos poderemos atingir o acabamento desejado, tal a gama de opções oferecidas para cada tipo de superfície a ser tratada.
Obviamente que tudo está diretamente atrelado ao custo benefício que os processos de tamboreamento e vibroacabamento proporcionam.

Consulte nossos técnicos para maiores informações e orientação voltada ao seu processo. CONTATO

Facebook
Twitter
LinkedIn
Pinterest